No dia 22 abril comemorou-se o 50° Dia da Terra. Esta data foi criada pelo senador americano Gaylord Nelson, cujo objetivo principal é conscientizar a população mundial sobre a preservação do meio ambiente e o impacto das ações humanas sobre a Terra; e é justamente em meio a pandemia causada pelo Covid-19 que essa relação, preservação versus impactos das ações do homem, está tão visível.

O isolamento social praticado por várias nações com o intuito de diminuir o número de infectados pelo novo coronavírus e, também, de achatar a curva epidêmica, tem feito com que ocorra a diminuição da circulação de automóveis e de outros meios de transporte como, por exemplo, o aéreo, e até mesmo, a redução das atividades em alguns setores das industrias. Em consequência disso, tem sido observado em vários países uma forte redução nas emissões de poluentes atmosféricos.

Essa redução pode ser visualizada através de imagens de satélites, como a que foi divulgada pela National Aeronautics and Space Administration (NASA) onde são comparados os níveis de Dióxido de nitrogênio (NO2) no território chinês nos vinte primeiros dias do mês de janeiro deste ano e, após um período de quarentena, em meados do mês de fevereiro deste mesmo ano (Figura 1). Como pode ser observado na Figura 1, em alguns locais a concentração de NO2 aproximou-se de 500 µmol/m² antes do período de isolamento, e, após esse período, esses valores aproximaram-se de 125 µmol/m² para os mesmos locais.

 

A redução nos níveis da poluição atmosféricas também foi visualizada em outros países, inclusive no Brasil. Em São Paulo, por exemplo, com a redução da frota veicular em circulação, também foi evidenciado uma diminuição na concentração de monóxido de carbono e de óxidos de nitrogênio, os quais causam impactos negativos a saúde humana, o que pode agravar ainda mais as consequências do coronavírus.

Sabe-se que essas reduções são temporárias, visto que com o fim do isolamento social as atividades industriais retornarão e as pessoas voltarão a circular na ruas e rodovias com seus meios de transporte, mas em meio ao caos causado pela atual pandemia, respirar um ar mais puro nos traz a esperança de que os efeitos da Covid-19 possam ser minimizados.

midia